Devolve, Lula!!!
História por trás da mudança do Planalto !!!

Lembram quando foi divulgado o número de caminhões que levou a mudança do presidente Lula para SP, quando ele saiu da presidência? Foram 11 caminhões. E um deles era refrigerado pois consta que levava vinhos e outras bebidas da adega refrigerada do Palácio.

Li na Folha também que entre os objetos estava a cama de casal do Alvorada que, de tão grande que era, não cabia no apartamento de São Bernardo do Campo. Por isso ficou guardada num depósito.

Pergunta: móveis e utensílios do Palácio da Alvorada não pertencem ao Palácio, e por tabela ao povo brasileiro? Estão lá para uso do ocupante do momento. Como é que um casal que chegou com uma malinha sai com 11 caminhões de mudança?

Levaram tudo: móveis, louças, roupas de cama, mesa e banho, quadros, objetos de arte, toda a adega... 11 caminhões é muita coisa!

Sempre soube que os presentes que se trocam nas visitas oficiais, são propriedade dos governos, mesmo se forem jóias, etc. Não são dados às pessoas físicas, são dados aos representantes do país.

A legislação brasileira e de vários outros países civilizados determina que: ...os presentes ganhos pelo Presidente da República, no exercício da função, sejam incorporados ao patrimônio público. Por um motivo simples: são considerados Propriedade do Estado.

Lula e sua família, ao deixarem o Palácio da Alvorada, levaram todos os presente recebidos, inclusive uma coleção de jóias raras recebida do presidente do Egito, então registrada no acervo do Palácio.

Dona Marisa (a Italianinha, a Inútil, etc. e etc...) disse que as jóias eram dela e as colocou na sua bagagem, rumo a São Bernardo do Campo.

Funcionários antigos do Alvorada ficaram horrorizados quando perceberam a falta de diversos objetos de arte e peças de alto valor, inclusive o crucifixo que há décadas adornava a Sala de Visitas da Presidência da República.

Em vista deste descalabro foi lançada a campanha de recuperação do patrimônio público nacional:

"Devolve, Lula!!!"

A Folha de S. Paulo publicou a informação de que a presidente Dilma Rousseff, em sua primeira semana de trabalho, retirou o crucifixo da parede de seu gabinete e a Bíblia de sua mesa.

Helena Chagas, Ministra Chefe da Secretaria de Comunicação Social, através de seu twitter, contradisse a informação divulgada pela Folha. Segundo ela, “A presidenta Dilma não tirou o crucifixo da parede de seu gabinete. A peça é do ex-presidente Lula e foi na mudança! Aliás, o crucifixo, que Lula ganhou de um amigo no início do governo, é de origem portuguesa”.
Segundo Chagas, a Bíblia continua lá, em uma sala contígua, sobre uma mesa. A mesma informação está em nota da Secom.

Agora, a pergunta que não quer calar...



Se o crucifixo era presente recebido por Lula, como o objeto poderia estar presente nesta foto de Itamar tirada no gabinete presidencial há dezoito anos atrás?



VAMOS EXIGIR NOSSO PATRIMÔNIO DE VOLTA. É A HISTÓRIA DE UM POVO.

Rui Pinheiro Silva

Isso é coisa de trombadinhas e não de um ex primeiro mandatário de um país. Dá para imaginar o que foi levado por seus "cumpanheiros churrasqueiros" em recepções.