Bichim di pé...
Um renomado pesquisador da UFMG, professor titular de Sociologia, fez um levantamento, em toda Minas Gerais, para saber qual seria o objeto de desejo do homem mineiro.
Em todos os rincões das Gerais, os homens respondiam de bate pronto:
"dinheiro e mulher". Não dava outra a resposta era sempre a mesma.
Quase ao final da pesquisa, ele encontrou em Santo Antônio das Roças Grandes, um mineirinho de uns setenta anos. Franzino, sentado de cócoras no "pondiôns" * na beira da estrada, pitando um cigarrim de páia.
- Bom dia.
O mineirinho deu uma tragada, cuspiu de lado e, sem olhar, respondeu:
- "Diiia, sô".
- Estou fazendo uma pesquisa para saber quais as coisas que o homem mineiro mais gosta.
O senhor pode me responder quais são as coisas do seu agrado?
O mineirim deu mais uma pitada, mais uma cuspida de banda e disse:
- Uai, sô! As coiss qui eu mais apreceio é o dinheiru, as muié e o bichim di pé.
O pesquisador, estranhando a inclusão do item "bicho de pé" na resposta, perguntou:
- Olha, todos respondem "dinheiro e mulher". Mas, e o bicho de pé?
Mais uma pitada e mais uma cuspida, o mineirinho retruca:
- Uai, sô! Pra que qui serve nóis tê dinheiru e muié, se o "bichim num ficá di pé?"
______________
* "Pondiôns", em mineirês, quer dizer "ponto de ônibus".
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar